Arquivo para pintura

Tarsila Schubert

Posted in Imagens e Letras with tags , , , on março 6, 2012 by olavosaldanha

Outros bons artigos

.

.

.

Há vida sendo vivida nas pinturas de Tarsila, mesmo naquelas que remetem à reflexão contida e solitária de um personagem, a vida se desenrola lancinante ao redor e em cores vibrantes. A informação não se perde entre a sedução dos pigmentos, pelo contrário, são realçadas na sua proposta de traduzir um instante neste mundo multiforme da arte.

Tarsila Schubert diz-se seduzida pela literatura, poesia e música. Não é à toa que a obra “Basílio” cai tão bem nos versos: “De pescoço mole, o cabisbaixo; / Na cabeça quieta, a criação; / Sentado na cadeira, o viajante; / No aquário de ventania, num céu anoitado; / na mente a solução.”

Nasceu em Bauru e amou a pintura desde cedo. Hoje mora em Florianópolis.

Olavo Saldanha – Como uma artísta enveredou pela odontologia, ou, como uma odontóloga enveredou pela arte?

Tarsila SchubertA arte antes da odontologia já habitava meus pensamentos, me interessei pela área da ciência/ saúde quando eu tinha 16 anos onde eu ingressei num curso de prótese dentária e posteriormente na faculdade de odontologia, pra mim a arte e a odontologia andam juntas desde então,são áreas distintas e eu não as misturo. São dois mundos diferentes que eu habito.

Olavo SaldanhaQuando você percebeu que a pintura era tão importante quanto a profissão?

Tarsila SchubertA Arte pra mim é algo sem padrões ou limites, eu sou livre e faço quando eu quero ou quando me sinto a vontade. É onde eu posso me expressar, sem ter que obedecer ou seguir algum pré-requisito, a odontologia não dá essa liberdade de criação.

Eu sou muito emocional, então tenho umas explosões de sentimento aqui dentro que precisam sair. A importância está aí, a arte pra mim é uma forma de eu manifestar meus pensamentos e emoções.


Por outro lado eu me interesso muito, sobre assuntos ligados a ciência, e também sobre o bem estar e saúde das pessoas, e a odontologia foi uma forma que eu encontrei para ajudar.

.

Imagens e Entrevista Completa Aqui
(27 Imagens)

.

.
.

Referências de pesquisa:Imagens cedidas gentilmente pela artista a partir de seu site oficial (Tarsila Schubert), Faceboock e demais espaços de exposição. Entrevista concedida gentilmente pela artísta aoeditor deste blog (Olavo Saldanha)

.

.

assine o feed twiter

.

Jacek Yerka

Posted in Imagens e Letras with tags , , on agosto 5, 2011 by olavosaldanha

.

.

p

Nascido na Polônia em 1952, Jacek Yerka estudou artes plásticas e gráficas antes de se tornar um artista em tempo integral em 1980. A atmosfera pastoral da zona rural polaca fornece uma base sólida e mimética para muita da arte de Yerka. Entretanto, são sonhos e exclusivamente a sugestão que retrata a complexidade do seu trabalho.

As influêcias de Yerka passam por Hieronymus Bosch, Pieter Bruegel, Hugo van der Goes e Jan van Eyck. Há uma ressonância dos pintores dos séculos 15 e 16, fatores fundamentais para o desenvolvimento deste surrealista.

Baseando-se técnicas de pintura precisas, tendo padrão de antigos mestres como Jan van Eyck e Hieronymus Bosch, mas principalmente na sua ilimitada imaginação, ele cria belas composições surreais. É particularmente admirado por entusiastas de sci-fi em todas as variedades. Já foi premiado com o prestigiado World Fantasy Award de melhor artista. Ele exibe na Polónia e no mundo (Alemanha, França e EUA, entre outros).

.

Imagens Aqui

(57 Imagens)

.

.

Outras propostas

.

.

.

assine o feed twiter

Tetsuya Ishida

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , on março 16, 2011 by olavosaldanha

.

.

As obras de Tetsuya Ishida nasceram das agruras da vida real, como as sensações claustrofóbicas dos indivíduos e sua desorientação numa sociedade tecnologicamente avançada. Ele retratou isso com os elementos fantásticos do surrealismo, onde seu auterego está preso a máquinas ou animais, ou tratado como parte de uma linha de produção. Ishida foi um crítico fugaz da estrutura social japonesa, a qual ele dizia estar cheia de pessoas modernas escondidas dentro “da dor e da tristeza”. Em 2006, uma de suas obras alcançou o valor de 100 mil dólares.

Tetsuya Ishida Yaizu nasceu na província de Shizuoka, em 1973. Após graduar-se na Musashino Art University, representou com talento incomum a pintura japonesa. No entanto, deixou órfã toda uma geração de artistas quando, prematuramente, morreu vitima de um acidente ferroviário, em maio de 2005 aos 31 anos de idade.

.

Imagens Aqui
( 28 imagens)

.

.

Referências de pesquisa: Site oficial do artista Tetsuya Ishida (tetsuyaishida.jp) . Museu da provincia Shizuoka de Arte (http://www.spmoa.shizuoka.shizuoka.jp/english/). Wada Fine Arte, galeria de arte (http://www.wadafinearts.com/#/artists/ishida/).

.
Outras propostas

.

assine o feed twiter

A Última Ceia

Posted in Imagens e Letras with tags , , , on abril 6, 2010 by olavosaldanha

.
.

ceia realizada por Jesus antes da crucificação não é só o jantar mais famoso da história, tornou-se o marco do cristianismo. No entanto, como acontece com tudo o que cai nas mãos dos homens, foi interpretado ao bel prazer de cada segmento religioso criado. Algumas interpretações mais sóbrias, outras mais absurdas e surreais. No catolicismo, por exemplo, acredita-se que o fiel engole o próprio Cristo, fermento transformado em carne, osso e sangue, e mais, Cristo permanece dentro do fiel até ser digerido, numa espécie de canibalismo. No protestantismo há divergências entre eles, são várias interpretações, porém, eles evitam engolir o Deus deles.

Esta criatividade toda surge de um jantar dado por Jesus aos discípulos, especificamente na festa judaica da páscoa, e também de um trecho de uma carta que Paulo enviou aos que professavam a fé em Coríntios, uma cidade comercial da Grécia. Enquanto Cristo vivia em luta aberta contra a religiosidade burocrática, mercantil e literal, os religiosos, logo depois, se apoderaram da mensagem e criaram uma vastidão de religiões onde a Última Ceia é baseada na interpretação própria da hermenêutica usada pelo Clero.

A influência deste episódio é tão inseparável da fé cristã que praticamente todos os grandes pintores criaram a sua versão. Eles reorganizavam a cena a fim de melhor transmitir o que imaginavam. Por exemplo, a opulência da refeição é enriquecida de uma pintura para outra. Inclusive, pelo menos 52 pinturas da Santa Ceia foram usadas para uma pesquisa sobre o aumento da oferta de alimentos no mundo, publicada no International Journal of Obesity.

A pintura, a fotografia, enfim toda a arte, antiga e moderna se rendeu aos encantos da mais famosa refeição de todos os tempos. Abaixo uma mostra de artistas de todas as épocas.

.
Imagens Aqui

.
.

Fontes: publishers of The Grove Dictionary of Art. Liechtenstein Museum. Museo del Prado – Madri.

.

Outras propostas

.

assine o feed twiter

Jacques Tissot

Posted in Imagens e Letras with tags , , , , , on abril 2, 2009 by olavosaldanha

Pintores Franceses
.

apresença de duas mulheres com um homem em um pouco suntuoso piquenique foi considerada escandalosa e imoral em 1876. E o autor desta obra foi atacado pelos críticos em todos os principais jornais da época.

Jacques Joseph Tissot nasceu em 1836 em Nantes, França. Grande parte de sua educação, Tissot recebeu informalmente, através de amigos, conhecidos artistas da avant-garde e escritores. Estudou na Ecole des Beaux Arts em Paris com os mestres Ingres, Flandrin e Lamothe, e expôs no Salão de Paris pela primeira vez com 23 anos.

Alcançou reconhecimento oficial pelo seu trabalho bastante depressa. A característica do seu primeiro período foi como pintor dos charmes femininos. Demi-mondaine seria a forma mais acurada de denominar uma série de estudos que ele chamou de La Femme a Paris (A mulher em Paris).

Foi forçado a tomar refúgio em Londres na sequência da sua alegada participação no turbulento evento da Comuna de Paris em 1871, sendo perseguido, acusado de ser comunista. Tissot’s, em Londres suscitou considerável ciúme entre seus colegas impressionistas, onde foi considerado um artista de valor menor.

Em meados de 1876, Tissot conheceu uma divorciada, sra. Kathleen Newton, que se tornou sua companheira e modelo para diversas pinturas. A sra. Newton mudou-se para a propriedade de Tissot em 1876, onde viveu com ele até o seu suicídio, e onde já vivia os últimos estágios da sua tuberculose. Tissot nunca recuperou dessa tragédia, e transferiu-se de volta para Paris, dedicando o resto de sua vida a pintar cenas religiosas.

Ele visitou o Médio-Oriente duas vezes para encontrar o verdadeiro background das suas novas pinturas. Nos últimos anos, curadores japoneses e americanos têm alimentado um grande aumento no valor das pinturas de Tissot, porém, os críticos permanecem hostis.

.
Imagens Aqui
.

Tissout

..
Outras propostas:
Slava Groshev
Jacek Yerka

assine o feed twiter