.

.

.

ceia realizada por Jesus antes da crucificação não é só o jantar mais famoso da história, tornou-se o marco do cristianismo. No entanto, como acontece com tudo o que cai nas mãos dos homens, foi interpretado ao bel prazer de cada segmento religioso criado. Algumas interpretações mais sóbrias, outras mais absurdas e surreais. No catolicismo, por exemplo, acredita-se que o fiel engole o próprio Cristo, fermento transformado em carne, osso e sangue, e mais, Cristo permanece dentro do fiel até ser digerido, numa espécie de canibalismo. No protestantismo há divergências entre eles, são várias interpretações, porém, eles evitam engolir o Deus deles.

Esta criatividade toda surge de um jantar dado por Jesus aos discípulos, especificamente na festa judaica da páscoa, e também de um trecho de uma carta que Paulo enviou aos que professavam a fé em Coríntios, uma cidade comercial da Grécia. Enquanto Cristo vivia em luta aberta contra a religiosidade burocrática, mercantil e literal, os religiosos, logo depois, se apoderaram da mensagem e criaram uma vastidão de religiões onde a Última Ceia é baseada na interpretação própria da hermenêutica usada pelo Clero.

A influência deste episódio é tão inseparável da fé cristã que praticamente todos os grandes pintores criaram a sua versão. Eles reorganizavam a cena a fim de melhor transmitir o que imaginavam. Por exemplo, a opulência da refeição é enriquecida de uma pintura para outra. Inclusive, pelo menos 52 pinturas da Santa Ceia foram usadas para uma pesquisa sobre o aumento da oferta de alimentos no mundo, publicada no International Journal of Obesity.

A pintura, a fotografia, enfim toda a arte, antiga e moderna se rendeu aos encantos da mais famosa refeição de todos os tempos. Abaixo uma mostra de artistas de todas as épocas.

.
Imagens Aqui

.

.

.

.

mago das paredes, Banksy, fará uma premiere do seu filme num lugar onde suas obras são vistas pela população, numa sala de cinema incrustada numa galeria sob a estação de trem de Waterloo, em Londres. 150 assentos improvisados no Lambeth Palace, como ele denominou. Um teatro improvisado, um calabouço-auditório. É descrito como o cinema de Londres “mais sujo e escuro”. Uma experiência estranha onde a arte de rua adorna as paredes.

O The Independent escreve “O hall de entrada possui algumas das mais recentes obras de Banksy. na parede de tijolos as efígies da rainha e do príncipe Philip. Em outro canto está uma fogueira queimando uma seleção de pinturas do século18 e 19, os retratos de Napoleão e da Rainha Victoria estão entre eles. Ainda há uma caminhonete onde um homem com um cavanhaque serve a pipoca e refrigerante “.

Convidados para a estréia serão presenteados com latas de tinta. Muitas outras surpresas certamente aguardam o público underground. O túnel em que o cinema está inserido é uma área de grafite autorizada. “Você não tem que ser um gangster para pintar aqui, então por favor não se comporte como um”, diz a frase na parede do túnel.

Banksy aparece no filme com um olhar de Darth Vader, filmado na sombra e com seu rosto escondido sob um capuz, apresentando uma narração da arte de rua (pichações artísticas). Banksy gosta do anonimato e sabe permanecer nele mesmo chamando a atenção para si.

.

Imagens Aqui

.


.

.

assine o feed twiter

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: